Computador Trabalho de escritório

MELHORIA DE PEFORMANCE

O QUE É?

Melhorar a performance da empresa para minimizar o impacto de crises: esse é o propósito de um processo de revitalização. A premissa é a recomposição do ciclo de vida, para rentabilizar, profissionalizar e perenizar, retomando, acelerando ou potencializando a capacidade de gerar valor, reconectando a organização ao mercado.

Após anos de experiência, entendemos que a crise faz parte da biografia das empresas e dos negócios e que a melhor maneira de garantir a perenidade é fortalecer a liquidez.

Protegendo o caixa, com soluções integradas e equipe multidisciplinar, e investindo em governança corporativa, é possível construir as bases da solidez e robustez das companhias.

Carpenters at Work
Tecido Rolls Fábrica
Gado em Pasto
BE-site-foto3.png

ESTRUTURAR A GOVERNANÇA CORPORATIVA

A governança corporativa é o sistema segundo o qual as empresas são dirigidas, administradas e controladas. É o pressuposto segundo o qual concebemos a nossa forma de trabalhar. Está ancorada em princípios e serve para garantir a sedimentação do legado do processo de revitalização.

Disponibilizar para as partes interessadas as informações que sejam de seu interesse.

Transparência

Prestar contas de modo claro e tempestivo, assumindo integralmente as consequências de seus atos.

Accountability

Tratamento justo e isonômico de todos os sócios e demais partes interessadas, levando em consideração seus direitos, deveres, necessidades, interesses, expectativas.

Equidade

Zelar pela viabilidade econômico financeira das organizações, reduzir as externalidades negativas de seus negócios e operações e aumentar as positivas.

Responsabilidade Corporativa

Papel importante é atribuído aos agentes da governança, cotistas e executivos, cujo compromisso é zelar pelo funcionamento do sistema, evitando que práticas desconformes criem riscos que ameacem a continuidade do negócio. 

A governança corporativa atua como um poderoso instrumento para lidar com a sucessão, evitar fraudes e solucionar conflitos.

Cabe a qualquer porte de negócio, porque sua estruturação progride segundo graus de maturidade. 

A revitalização só faz sentido se cumprir o papel de trazer vida ao negócio. Equivale a dizer que uma nova cultura será a chave para não repetir os erros do passado e criar resiliência, ou evoluir para a antifragilidade.

EVIDENCIAR OS RISCOS QUE 

AMEAÇAM A CONTINUIDADE

COMPROMETER-SE COM

A CONFORMIDADE

Quando o foco é a continuidade, torna-se imprescindível estruturar uma compreensão da empresa a partir do apontamento de riscos. Crises são recorrentes na biografia empresarial e antecipar-se a elas passa por dar visibilidade às ameaças (e às oportunidades) que se apresentam no percurso dos negócios.

Nesse sentido, nosso diagnóstico procura lançar luz às vulnerabilidades do cliente, para que, numa lógica crescente de amadurecimento e definição de prioridades, seja possível prevenir intercorrências que possam levar à perda de valor e ao desparecimento.

Renovar pressupõe patrocinar o autocuidado e, tal qual a saúde pessoal, estar um passo à frente é primordial. Nosso projetos resgatam, dia a dia, o compromisso com a prevenção ao decesso.  

Optar por caminhos tortuosos para obter resultados rápidos é um grande equívoco. Uma cultura de cumprimento de normas precisa ser entendida como ativo na empresa. Os sócios são investidores, titulares do capital social, e devem proteger seu patrimônio (investimento) seguindo regras.

 

Defender ativos construindo estruturas societárias (tais como sociedades patrimoniais, por exemplo) é apenas parte da solução. Evitar passivos ocultos é tão ou mais importante, e isso se obtém num ambiente ético e de conformidade.

Implantar ou reforçar essa mentalidade é uma de nossas preocupações permanentes. Confiança do mercado e reputação são ativos imateriais que não tem preço e têm toda nossa atenção.

NOSSOS PRESSUPOSTOS

CONTEÚDO

foto_final.png

"[...] the best adapted individuals, supposing that there is any variability in favourable direction, will tend to propagate their kind in larger numbers than the less well adapted."

Charles Robert Darwin (1809–1882). 

Origin of Species. The Harvard Classics.  1909–14. IV. Natural Selection; or the Survival of the Fittest Natural Selection: Its Power Compared with  Man’s Selection