5 passos para iniciar um novo negócio com segurança jurídica e patrimonial

| Assessoria de Imprensa



Empreender é uma tarefa difícil. Além de todos os percalços envolvidos na atividade empresarial, alguns próprios do modelo de economia brasileiro, há, ainda, o risco patrimonial. Não é coincidência que uma em cada quatro empresas não sobrevive ao segundo ano de mercado, segundo informações do SEBRAE. Em muitos casos, o empreendedor amarga não só a frustração do insucesso, mas também o prejuízo mal calculado. Por isso, planejar é fundamental.

Neste sentido, nossos especialistas reúnem cinco passos essenciais para iniciar um empreendimento com segurança jurídica e patrimonial e o que se deve observar em cada um deles. Vejamos:

1) Construção do modelo de negócio

A modelagem do empreendimento tem como objetivo responder questões básicas, tais como o que, para quem, como, quando e quanto. Existem inúmeras ferramentas interessantes à disposição para superar esta primeira etapa, como é o caso do Model Canvas.

2) Análise de viabilidade

Pensar a viabilidade implica em verificar os tributos incidentes na atividade para escolher o melhor sistema disponível (lucro real, presumido, simples, etc.), colocar o planejamento em um fluxo de caixa projetado e aplicar instrumentos de análise econômica e financeira. Talvez uma das etapas mais importantes, visto que a geração de caixa é determinante para delimitar investimentos e o tempo de retorno.

3) Definição de identidade e posicionamento

Situar a empresa no mercado, definindo missão e valores, é de extrema importância para ter direcionamento. Focados, empreendedor e colaboradores sabem onde querem chegar e, a partir de um plano de ação bem delineado, podem atingir as metas estabelecidas.

4) Formatação da estrutura jurídica

Trabalhar as cláusulas do ato constitutivo é vital, em especial sob dois aspectos: escolha da forma adequada e clareza das regras de entrada e saída. Estas duas dimensões permitem preservar patrimônio e blindar a empresa de potenciais desentendimentos dos sócios, quando se opta pela busca de parcerias. Mapear os principais contratos, criar os modelos e a respectiva agenda é outro capítulo relevante do aspecto jurídico que previne riscos.

5) Acompanhamento

Depois de colocar o planejamento em prática, é importante retomar o que havia sido estabelecido inicialmente de tempos em tempos. Revisar a ideia inicial e corrigir rotas é um dos segredos do sucesso.

Há outros aspectos importantes, mas cobrindo os passos aqui propostos é possível obter sustentabilidade, proteção patrimonial e, com isso, minimizar os riscos de quebra!


Tags:

direito empresarial

finanças empresariais

VOLTAR
  • Facebook
  • Telegram