71% das empresas sofrem com erros na apuração de tributos, aponta estudo

Segundo o Fundo Monetário Internacional, risco fiscal aumentou em todo o mundo em 2016.


As constantes mudanças da legislação tributária brasileira têm gerado perdas na eficiência tributária de muitas empresas. Dificuldades em calcular tributos criam grande impacto negativo. Segundo recente Estudo de Riscos Fiscais (IOB), 71% das empresas sofrem com erros na apuração de tributos e 79% não usam créditos fiscais que teriam direito. Como consequência, multas e atrasos no recolhimento, que impõe perdas desnecessárias.

De acordo com a advogada tributarista Juliana Biolchi, “para atender a complexidade das exigências do fisco, é importante promover alinhamentos periódicos na vida fiscal da empresa”. Ela explica que, assim, é possível reduzir a carga tributária e gerar oportunidades de reaver pagamentos indevidos.


O que é a Revisão Fiscal?

Se há diferença entre o que deve ser pago para União, Estados e Municípios, os empresários precisam estar atentos. A avaliação periódica, como propõe Biolchi, contribui para a saúde financeira imediata e, também, para a identificação de hipóteses de redução da carga tributária.

“Essas dificuldades geradas pela complexidade do sistema fiscal brasileiro demandam um plano de trabalho para diagnóstico tributário, através de etapas claras e cronograma pré-definido com o cliente”, salienta Juliana. Dentre os trabalhos efetuados, a profissional destaca análises de base de cálculos, alíquotas, apurações de IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI e outros tributos vinculados à atividade desempenhada. Juliana defende, ainda, que esta organização é fundamental para que seja feita a análise correta e para que o gestor possa conhecer o mapa das oportunidades de reversão e evitar contingências.

Tags: planejamento fiscal repetição de indébito

VOLTAR
  • Facebook
  • Telegram