Número de Recuperações Judiciais se manteve em alta em 2017

Segundo dados do Serasa Experien, o número de pedidos subiu 33,3% em relação a julho de 2016, e 25,5% em relação a agosto

Os pedidos de recuperação judicial, se comparados aos mesmo período do ano passado, tiveram alta em 2017. Isto significa, segundo a análise de nossos analistas, que o procedimento está se consolidando como uma saída de planejamento empresarial.

Segundo Juliana Biolchi, a crise na economia começou a dar sinais de retração nos últimos meses, fato que deveria vir acompanhado da redução dos pedidos. Mas estes sinais de melhora não impediram o movimento contrário, de aumento de ações. "A recuperação judicial se mostrou, nos últimos anos, um processo confiável e viável, e sua aplicação mais intensa permitiu gerar um ambiente de segurança jurídica. Isto significa, no nosso julgamento, que ela está se consolidando e ganhando espaço.", pondera.

No entanto, nos próximos meses, alerta, a tendência é de queda no índice, em vista da retomada do crescimento econômico, como aponta o gráfico elaborado por nossa assessoria, a partir de dados do Serasa Experian, de pedidos apresentados:


"As projeções são positivas e a tendência é de que quem conseguiu sobreviver até este momento se restabeleça com reestruturação interna, sem lançar mão dos instrumentos legais. Novos pedidos sempre existirão, mas, neste ciclo de crescimento, possivelmente haverá diminuição", explica Juliana.

Nos próximos anos, salvo crises setoriais, a aposta é de que a generalização das dificuldades ceda espaço para crescimento, e com isso diminua o número de recuperações e falências. A conferir.



Tags:

Análise

recuperação judicial

2017

VOLTAR
  • Facebook
  • Telegram