Vale a pena terceirizar a cobrança de recebíveis em atraso?

|Piero Pauletto da Costa



Quando a economia está em recessão é natural que o volume de negócios diminua, mas o que nem sempre é esperado é o aumento da inadimplência.

Apesar de ser uma circunstância natural em momentos de crise, acaba se tornando uma dificuldade adicional para a empresa que já tem de suportar a diminuição nos negócios.

Consideremos que a margem de lucro de um segmento seja de aproximadamente 2%. A cada R$1.000,00 (mil reais) inadimplentes, a empresa terá que buscar um incremento de negócios na ordem de R$50.000,00 (cinquenta mil reais) para compensar a perda. Em tempos de crise a dificuldade é imensa!

Existem diversas posturas que podem contribuir com a superação destas dificuldades, que vão desde uma maior atenção aos débitos em atraso até a terceirização da cobrança dos recebíveis em atraso.

No que toca a terceirização, existem diversos fatores que contam a favor desta opção. Vejamos: o foco de sua empresa é, por exemplo, a prestação de serviços de manutenção. Você entrega um resultado excelente ao seu cliente, mas no momento que surge a necessidade de cobrar um título inadimplente, você esbarra na falta de expertise, e isso é absolutamente normal, pois seu foco é manutenção e não cobrança!

O principal motivo pelo qual as empresas terceirizam as cobranças é o fato de seus esforços internos estarem falhando e a gestão acreditar, com razão, que os recursos da empresa são mais bem investidos quando focados em atender os clientes que estão pagando suas contas. Sem contar que, por vezes, o foco exclusivo na atividade principal da empresa acaba significando uma diminuição no quadro de colaboradores, o que é mais uma forte razão para considerar a opção de terceirizar os recebíveis em atraso.

Além disso, existe o elemento psicológico que não pode ser esquecido, ou seja, quando um terceiro é incluído na relação negocial, o devedor sabe que aquele fará o que for necessário para receber o valor devido, incluindo a judicialização, que certamente significará um incremento nos custos e um possível embaraço, o que é motivação extra para o devedor adimplir o débito.

Sabe-se que o tempo de atraso é fator primordial para o sucesso de uma cobrança, ou seja, quanto mais antigo um crédito, menor a chance de recebimento. Tal circunstância, que todo gestor/empreendedor sabe intuitivamente, é retratada por estudos que estimam que após seis meses de vencimento, apenas 45% dos créditos acabam sendo recebidos. Número que cai para 21% quando o atraso chega a um ano (a exemplo dos números citados, traz-se o estudo disponível em: creditmanagementassociation.org).

Tendo em conta tais considerações, a antecipação do emprego de uma empresa especializada em cobranças e os mecanismos utilizados por ela poderão significar um ganho considerável em seu fluxo de caixa. Quanto mais cedo melhor!


Tags:

renegociação

expectativa

estratégia de sucesso

finanças

dicas

VOLTAR
  • Facebook
  • Telegram